QUASE UM FADO

Quase um fado (Rodrigo Maranhão)

Trago no peito segredos, amores confessos, ocultos desejos
O tempo apressado o beijo partido,
Inteiro aos pedaços da vida, eu duvido
Trago no peito um segredo dos mares que desafio,

Trago no peito meu mundo, fagulha, centelha, amor vagabundo
Que bate calado o seu bate-fundo,
E sempre navega pró mesmo lugar
Trago no peito o segredo dos mares por navegar.